terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Pesca em Sines

Havia bastante tempo que estava prometida uma visita ao amigo João Santana em Sines. Já tínhamos apalavrado este fds durante o verão e embora as condições não fossem as melhores assim foi, eu e o Cristovão mata chibos preparamos o material e fomos fazer uma visita ao João. Chegamos a casa do João por volta das 21h e com bastante apetite a recepção não podia ser melhor, no forno do João já dois Sargalhões esperavam por nós e no frigorífico uma garrafinha de verde bem gelada…
Jantamos, conversa e tal e quando demos por nós eram 3h da manhã, horas de deitar para na manhã seguinte fazermos uma visita guiada pelo João em Sines.








Terra bonita com bons pesqueiros e bonitas paisagens, acabada a visita guiada eram horas de procurar o almoço.


Pesca em Sines
Material utilizado: fogareiro, garfo e faca
Isco: entremeadas e costeletas
Engodo: cerveja



 Nessa noite fizemos uma investida ao surfcasting mas o peixe fez gazeta e acabamos por vir para casa mais cedo, ainda passamos no pesqueiro do pai do João e lá estava ele entretido com as suas caninhas e a resmungar looool
Na manhã seguinte quando acordamos já a mãe do João tinha chegado com o pequeno-almoço.


Pesca em Sines ao amanhecer
Isco: Croissants, pães de leite, palmieres,  pasteis de nata, tortas, bolos com creme sem creme e outros que não sei o nome... 
Saímos para fazer uma pesca à chumbica, mas os sargos eram poucos, ou melhor eram muitos mas pequenos, ainda conseguimos guardar alguns mas nada de especial…


O João concentradissimo nos Sargos

Ao final do dia quando voltamos para casa o João mais uma vez mostrou que não é só um campeão a apanhar Sargos mas também é um mestre na cozinha e preparou-nos um arroz de choco com gambas que estava de comer e repetir e repetir e voltar a repetir.


Antes e depois


Nessa noite ainda eramos para fazer um surfcasting mas depois de umas cervejas e duas garrafas de vinho e moscatel decidimos mas é ir para a cama loooool


No dia seguinte como acordamos já tarde, começamos a pensar no almoço e foi então que mais uma vez o João vestiu o avental e preparou umas bifanas para a malta aconchegar o estômago :))


Pesca em Sines
Material utilizado: garfo e faca
Isco: bifanas
Engodo: maionese ketchup e cerveja


Embora a pesca tenha sido fraca, foi um fds à maneira onde fomos muito bem recebidos pelo João e pela sua mulher.
A brincadeira dos blogues de pesca a dar frutos e já lá vão algumas boas amizades que por aqui tenho feito, a pesca não é só apanhar peixe mas também o convívio que fazemos com pessoal que tem o mesmo vicio que nós.
Abraço e até breve.

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

Cautiva ll 4500 Alu

Quero vos apresentar uma nova aquisição para Spinning.
Trata-se de um carreto da marca Cinnetic, mais concretamente o Cautiva ll 4500 Alu.
Parece-me um carreto forte, robusto e elegante, capaz de responder a algumas situações mais difíceis que possam surgir. Para além disso tem um preço convidativo.
Muitas são as marcas que ultimamente introduzem no mercado os seus carretos com uma bobine apenas, na minha opinião todos os carretos devem trazer pelo menos duas bobines. Eu não saio para uma jornada de spinning só com uma bobine, sabe-se lá o que irá acontecer…
Passo a citar as características desta pequena maquina:

Embraiagem/Drag -- 16 Kg
Rolamentos – 6+1 (3 selados)
Peso – 389g
Ratio – 4,9:1
Bobines – 2 em alumínio (Bobine principal 0,30mm/200m Allu)
                                              (Bobine extra 0,30mm/125m Allu)
R.P.V. – 0,78m

Com o corpo em alumínio, parafusos em aço inoxidável, guia de fios banhado em nitrato de titânio e manivela de alumínio mecanizado. Ainda trás uma pequena bolsa para guardar o carreto e o proteger de areia ou outras sujidades, coisa que algumas das marcas mais conceituadas do mercado não oferecem.
Muito bem se tem ouvido falar das canas desta marca Cinnetic, esperemos que os carretos sigam o mesmo caminho e que sejam duradouros. Mas isso só o tempo o dirá, mais tarde falarei aqui do desempenho deste carreto.

Saúde da boa e até breve.
















terça-feira, 2 de Setembro de 2014

A luz ao fundo do túnel


Boas amigos e caros leitores deste espaço.
Como vem sendo habito desde o inicio deste projecto e todos os anos durante o período de verão a minha ausência por aqui é escassa ou quase nula, o motivo é o aumento considerável de pessoas e transito aqui no sul juntando-se também a altura em que tenho mais trabalho e fica mais difícil programar uma saída de pesca uma vez que os pesqueiros que frequento ficam bastante longe. Este ano e por motivos de força maior fui obrigado a abandonar a actividade da pesca mais cedo que o habitual. A vida por vezes oferece-nos obstáculos que temos que contornar física e psicologicamente, temos de ser fortes tal como a fortaleza de Sagres “um local mítico para mim” por mais tempestades que a fustiguem ela nunca será derrubada, nem com uma força de dez “Hercules”

Agora com o verão a entrar na recta final e depois de trabalhar alguns meses a fio com três ou quatro dias de folga começo a ver a luz ao fundo do túnel, as “manadas” já começaram a sua migração para Norte e fica tudo mais limpo desde praias, estradas e pesqueiros. Com o tempo mais folgado a partir de agora a vontade de curtir umas sessões de pesca é mais que muita.


Altura do ano em que é pouco pesqueira para mim mas muita petisqueira e este ano não foi excepção. Combinando com alguns amigos da pesca lá se foram fazendo uns convívios onde deu para saborear uns bons petiscos, beber umas cervejas bem geladas, rir e claro conversar sobre pesca…


      O amigo João Santana do blogue "Litoral alentejano Surf e pesca" apesar de viver em Sines tem família em Faro e já é costume aparecer por cá de vez enquanto, desta vez presenteou-nos com uns belos percebes apanhados naquela manhã. O amigo Paulo “PJ” do blogue dos "Marafados" juntou-se a nós e mostrou que não é só marafado para pescar mas que também é marafado para petiscar e apesar de naquele dia ter feito uma revisão à cremalheira não deixou de nos acompanhar num belo dum convívio onde se falou de pesca e ainda rimos muito quando o dono do café descobriu uma foto engraçada na minha maquina loooool 



Neste dia o petisco foi mais uma vez preparado pelo João, um belo dum polvinho frito à “João de Sines” numa noite muito quente em que as temperaturas rondavam os 27ºgraus lá tivemos que mamar ali uma grade num abrir e fechar de olhos looool… O Cristóvão do blogue "Pesca Chibos" mais conhecido por “mata chibos” “papa chibos” ou Custoidinho também mostrou-se um fiel companheiro para dar ao dente e não perdeu a oportunidade de se juntar ao grupo dos petisqueiros…



O polvinho frito do João revelou-se um pitéu :)



No petisco anterior já se falava no que poderia ser o próximo manjar, foi então que o Mata chibos disse que tinha uma arca cheia de tordos, “áhh e tal o meu pai é caçador tenho uma arca cheia de tordos não sei o que fazer com aquilo e tal” looool bateste na porta certa. Que bela ideia que o amigo Mata chibos teve, em mais uma noite quente onde ainda bebemos umas 7 ou 15 cada um bem fresquinhas…



Logo na semana seguinte um dia em que a malta estava cheia de sede lá fomos nós beber qualquer coisa, ficamos com tanta pena da arca do Cristóvão estar cheia que decidimos alivia-la mais um pouco. Desta vez não houve registo fotográfico mas as memorias dessa noite mantém-se vivas no meu paladar loooool



Como já havia muito tempo que não fazíamos um petisco loool passados dois dias combinou-se fazer qualquer coisa pá malta por a conversa em dia, nesta vez a ementa foram uns camarões fritos à Lobo regados com uma grade de minis. O João ainda teve a ideia de fazer uma bela saladinha de polvo que nos abriu o apetite enquanto o Amilcar do café nos preparava os camarões…



A saladinha de polvo do amigo João de Sines



Os camarões fritos à Lobo



Também com o grande e velho amigo Zé mais conhecido por Tony boy, houve oportunidade para umas petiscadas em casa dele…
Para além da chouriça assada ainda foram uns camarões grelhados e umas codornizes grelhadas para aconchegar o estômago.




Que belas que estavam...



Nesta casa há peixes por todo lado



Calma xerreco que em breve vais encher essa barriguinha


A essência da pesca não é só apanhar peixe, mas também as amizades que se fazem e se vão mantendo mesmo sem irmos pescar juntos, contam-se historias trocam-se ideias e experiências e ainda se dá ao dente… 
Saúde da boa a todos e até breve

quarta-feira, 30 de Abril de 2014

Mista


“Surfcasting”
Olá amigos!
Andava atento às previsões para este dia. Levantei-me às 5h e meti-me a caminho do local pretendido, cheguei ainda de noite e com a ajuda da lanterna comecei a montar canas para começar a pescar ao nascer do dia. Amanheceu nublado e com um mar de feição para dar uns peixes no local. Comecei por apanhar uns robalotes, alguns dos quais devolvidos mas ainda consegui guardar dois, a seguir começaram a sair uns sargos de bom tamanho e umas bailas, algumas devolvidas por serem demasiado pequenas.
Foi uma manhã bem entretida com boas capturas e algumas devoluções, ao meio dia dei por terminada a jornada pois o mar já tinha caído e o sol aquecia e bem, era hora de regressar a casa com uma jornada produtiva.





Este Sargalhão foi a vedeta da jornada acusando 1.550Kg e bati mais um recorde no que diz respeito a Sargos



Quando dei por terminada a jornada de pesca já se encontravam alguns pescadores no local que chegaram já tarde e não apanharam nada, como não gosto de mostrar o meu pescado parei numa ribeira ali perto para lavar o peixe à sombra dumas árvores...


Uma mista de 8 Kg entre Sargos, Bailas e Robalotes...


Parece que o nosso querido governo agora também quer aplicar uma taxa adicional sobre o sal, vejam bem que estes gajos sonham de noite para contar de dia, ou então andam a fumar daquela merda a montes...
Então decidi juntar este montinho de sal para salgar o peixe dos próximos anos, ou então qualquer dia destes nem sal podemos por no peixe...
Saúde e boas varadas pessoal.



quarta-feira, 16 de Abril de 2014

A culpa foi do cego


“Surfcasting”
O tempo andava instável e tinha chovido bastante na noite passada, o dia prometia chuva vento moderado e mar forte. As condições estavam quase perfeitas para um excelente dia de Surfcasting. Na véspera deixei tudo preparado e de manhã arranquei em direcção ao pesqueiro, escolhi um sítio que me agradava e foi ali que montei o material para fazer esta jornada. Bem cedo me apercebi que o vento estava chato e ia ser o meu companheiro durante aquele dia, o mar corria bastante e tinha muito lixo. Linhas na água e em dez minutos ficaram cheias de limo e pequenos ramos de árvores que eram trazidos pela forte corrente, este cenário repetiu-se durante as três primeiras horas de enchente. O céu carregou bem e a chuva não demorou a chegar também…



Pensava já em desistir quando capturei um belo Sargo, andaria na casa das 800g. Esta captura deu-me algum alento para continuar mais um pouco mas as chumbadas de 180g e 150g que estava a usar naquele dia eram as melhores que tinha comigo para aquelas condições e mesmo assim em dez minutos o mar metia-as cá fora cheias de lixo.
Fui guardar o peixe quando reparei que era cego de um olho “eu logo vi que isto trazia agua no bico” recolho uma cana para arrumar e é quando trago outro Sargo kileiro “bom cada vez que penso em ir embora tiro um peixe!!!” Fui logo ver se este era cego também mas não, este tinha os dois olhos  hehehehehe…
Naquela hora da maré já lançava a segunda cana metia-a no suporte onde estava a primeira e recolhia a primeira, levava dez minutos a tirar lixo iscava e quando a lançava já tinha de recuperar a outra. Rodava as canas uma de cada vez no mesmo suporte, volta e meia tirava um Sargo kileiro e alguns mais pequenos que eram devolvidos, quando o mar começou a quebrar e deixou pescar com boas condições NEM MAIS um peixe que senti…
A pesca tem destas coisas e a insistência por vezes dá os seus resultados.



Sete Sargos 6 Kg, tendo o maior 1,4 kg é o meu maior até à data...



Tenho andado numa guerra incansável com os fios que uso nos carretos de praia, actualmente estou a usar num dos carretos o SKY LINE da Cinnetic na medida 0,18mm. Estou bastante satisfeito, acho que é uma linha bastante sedosa e macia o que permite uma boa saída, com uma resistência superior a alguns 0,20mm de outras marcas que usei anteriormente, o chicote que lhe dei é um 0,20 – 0,57mm da Cinnetic também (claro que um 0,18 – 0,57 seria o ideal mas de momento não havia e não sendo uma diferença significativa junta muito bem) para além disso tem uma boa resistência ao nó. Em relação ainda ao “chicote” penso que o terminal 0,57mm é um pouco exagerado, o ideal seria um 0,50mm na minha opinião…



Saúde e bons lances a todos.

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

Peixe e Carne


“Spinning”
Mais uma vez lá fui eu em busca da sorte.
A primeira paragem no café e sai uma fatia dourada e um cafezinho para despertar.
Já a caminho do pesqueiro salta-me uma coisa para o meio da estrada e leva uma porradinha, parei a carrinha e vou ver era uma lebrezinha ainda nova “oh porra pelo menos que fosse uma grande ou então um coelhinho, mas já agora vens comigo” pelo menos já tinha safo o chibo antes de começar a pescar hehehehe
Desço ao pesqueiro luz fusco e começo a pescar, depois de apanhar e devolver dois robalitos pequeninos ainda consegui escolher estes dois já kileiros para trazer comigo.
O sol já espreitava bem e parei a pesca por ali.



Desta vez deu peixe e carne



 Nessa noite fui para outra zona tentar a sorte e dei com um peixe já melhorzinho mas nada de especial e era filho único.


Numa hora da maré mais parada a fome já apertava e preparei uma boa feijoada para aquecer e dar energia, e bem boa que estava…



Quando ia a caminho do pesqueiro passei por um faval que estava carregado de favas, até já batiam no chão com o peso. Aquilo ficou-me na cabeça e quando regressei a meio da noite parei para dar uma olhadela e até me partiu o coração de ver tal situação, então na boa fé resolvi aliviar umas pernadas para que não se partissem com o peso, fiquei de consciência tranquila pois pelo menos fiz uma boa acção e trouxe mais alguma coisa para o almoço :)



Já em casa resolvi escalar um robaleco para o jantar que estava mesmo bom.
Saúde da boa pessoal e força aí.