quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A mais recente galardoada (Crafty Minnow 150F)

“Spinning”
Boas amigos!
Os dias de sol deprimentes vieram para ficar e a Primavera antecipada está a rebentar aqui no Algarve, quando era suposto estar a chover porque é de água que precisamos já se vê amendoeiras em flor. O sol embora esteja quente durante o dia não é sinonimo de calor, pois este é um sol doentio e não é novidade para ninguém os frios que se metem à noite.


Combinei com o Mestre Sílvio irmos fazer uma spinnada e a hora de encontro foi às 24h, depois da paragem na bomba para beber um cafezinho e das minhas entradas e saídas do carro do Sílvio à Três duques, sim porque a porta do carro do Sílvio não abre do lado do pendura (até me deu saudades da Daysy) hahahahaha
Então lá chegamos ao local seleccionado, conversa e tal canas montadas e começamos a bater o spot, enquanto eu fui para a direita o Sílvio foi para a esquerda, eu fui o primeiro a sentir um peixe que não ferrou e logo pouco depois outro que me abriu uma fateixa e me deixou uma escama como recordação, a coisa não começava da melhor maneira mas era sinal que eles andavam por lá. 


    A actividade abrandou por momentos e mais tarde depois de ter feito uma dúzia de lançamentos com duas amostras diferentes eis que abro a bolsa das amostras e olho para a mais recente galardoada, a Crafty Minnow 150F (cor nº3) da Cinnetic engato-a no clip e lanço; estico a linha e à segunda manivelada do Cautiva cana dobrada ao 1º lançamento com esta amostra, acho que a dita deve ter caído a cms do peixe, possivelmente o peixe tinha acabado de entrar no pesqueiro pois as outras amostras que lancei antes também já me deram peixe, o que é certo é que mais uma vez eles não a desprezaram o que foi motivo para uma risada entre mim e o Sílvio, tinha 3.1 kg

Hoje tinha fotografo de serviço o que tornou as coisas mais fáceis, logo de seguida e ao 1º lançamento outra vez novo ataque e nova ferragem com a Crafty Minnow 150F (cor nº3) mas desta vez era um puto vadio que tinha fugido do infantário e era pouco maior que a amostra, no entanto deu me uma trabalheira para lhe tirar a fateixa da boca onde se tinha cravado logo nos três anzóis (porra que irritação perde um gajo peixes tão bons e depois crava um porta chaves destes assim desta maneira)


Nesta altura já o Mestre Sílvio tinha metido também a sua Crafty Minnow 150F (cor nº3) nisto ouço um assobio e lá estava ele em cima de uma pedra com a cana ao alto a trabalhar o peixe, eu assim que pude fui no seu auxílio com o agarra peixe para lhe ajudar a cobrar o Robalo e quando lá cheguei já estava encalhado por entre as pedras mas ainda à mercê do mar, tinha 2.2 kg


Material utilizado
Cana:  Cinnetic Crafty Sea Bass CRB4 3m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi  RayBraid 0,18 e 0,16 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pelas capturas: Crafty Minnow 150F (cor nº3)


Ainda houve tempo para ir mamando uns medronhos ao longo da noite para combater o frio e mais tarde fui novamente visitado pela maldição dos mares com a ferragem de um bom Robalo que se desferrou após o recuperar uns bons metros, enfim já estou habituado…


O melhor xarope para a tosse.

Saúde e força aí pessoal.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Crafty Minnow 150F (a estreia)

“Spinning”
Boas pessoal!
Com o mar a descer timidamente mas mantendo alguma força, pensei que podia fazer uma investida ao spinning, sei que não era a melhor opção mas era o que me apetecia fazer.


Rumei ao spot seleccionado e logo percebi que o mar levava alguma embalagem. Quando comecei a pescar a troca de amostras era frequente, já tinha uma horinha de pesca quando engatei este Robalo que atacou a Crafty Minnow 150F da Cinnetic, confesso que foi a amostra que meti mais vezes e que esteve mais tempo na água, isto porque também estou a tentar perceber melhor como ela trabalha e como a poderei usar mais vezes no futuro, fiquei satisfeito por ter sido ela a “matadora” é sinal que eles não lhe ficam indiferentes…


Material utilizado
Cana:  Cinnetic Crafty Sea Bass CRB4 3m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi  RayBraid 0,18 da Cinnetic com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura: Cinnetic Crafty Minnow 150F (cor nº3)


O Spot


A minha relação para com esta Costa é quase como um compromisso para toda a vida e que a cada vez que lá vou mais me apetece lá voltar.


Na maré vazia e enquanto esperava pela hora aproveitei para garantir um petisco que eu não dispenso (lapas)


Também houve tempo para apanhar algum lixo que me estava a fazer confusão vê-lo ali ao meu lado.

Até à próxima e divirtam-se na pesca nunca esquecendo a regra nº1 (deixar o spot sempre mais limpo do que estava quando lá chegaram)
Saúde

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Crafty Minnow 150F da Cinnetic

Boas malta do Spinning.
Finalmente chegaram as amostras da Cinnetic. Esperava ansiosamente pela Crafty Minnow 150F. É um Jerkbait dentro da categoria low cost e o seu preço nas lojas rondará os 10€.

É uma amostra flutuante com 24g de peso e 15 cm de comprimento, segundo o fabricante nada numa camada de água entre os 20 cm e 1,5m de profundidade. São oito as cores que ela veste e que são bastante atractivas, dona de uma aparência realística e olhos em 3D, características que lhe dão uma grande naturalidade e que despertam o instinto predador dos Robalos. Protegida com duas camadas de verniz para uma maior longevidade, sistema de transferência de peso magnético e vem equipada com três triplos VMC nrº 4

Já tive oportunidade de pescar com ela e gostei do seu trabalhar dentro de água, claro que para as suas 24g não é nenhum míssil, mas que faz um lançamento linear e certinho lá isso faz…
Por isso os Robalos que se cuidem…






















Para os simpatizantes de amostras XL saiu a Daddy Minnow 185F.
 Com 18,5 cm e 34g de peso, nada numa profundidade entre os 50 cm e 1,50m  e veste as mesmas cores que a Crafty Minnow 150F, esta vem equipada com três triplos VMC nrº 2 






segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

O velhaco de Ano Novo

“ Spinning “
Boas amigos e seguidores!
Nos últimos anos a opção nº1 para a passagem de ano é passar essa noite a fazer o que mais gosto (pescar), não só pela pesca mas por todo o ambiente que a envolve. No ano passado não houve condições para o fazer porque o mar não me deixou realizar esse desejo mas este ano andei a controlar a coisa durante a semana toda até confirmar que estavam reunidas as condições para tentar a sorte na noite da passagem de ano, apesar de gostar de estar com amigos a beber uns copos nessa noite acho que é uma cena brutal passa-la na pesca mesmo que seja sozinho, muitos até gostariam de o fazer eu sei, mas as obrigações familiares falam mais alto e não o permitem, outros até pensam que haverá mais oportunidades, o que por vezes é um erro, pois as oportunidades de pescar na Costa Norte são raras nesta altura do ano.


 Como também não gosto de levar banhadas em passagens de ano da treta que muitas vezes são só fachada, organizadas por alguns mamões que se julgam grandes empresários da noite que andam por aí, sim porque o dinheiro a mim custa-me a ganhar. Então a pesca seria a opção nº1…


 O spot que tinha em mente era de difícil acesso e muito trabalhoso para lá chegar, logo não quis desencaminhar ninguém ou alguém que não tivesse preparado fisicamente para me acompanhar, depois também não sabia se o mar me deixaria pescar com amostras ou teria de ficar por uma pesca ao reboliço. Então decidi levar material para as duas técnicas e ir no dia antes para acompanhar o desenrolar da situação de perto e tentar perceber qual seria a melhor opção, como bónus esse dia antes servia também para absorver toda aquela beleza de Costa …
Mais tarde constatei que o spinning seria uma boa aposta, embora o mar tivesse um toque forte a previsão dizia que ia baixar.


O dia foi passado a explorar a zona e a rever trilhos e pesqueiros vizinhos mas assim que o sol se pôs deitei-me um pouco na carrinha para descansar, pois adivinhava-se uma noite longa e difícil. Depois do jantar e de ter aberto a garrafa de champanhe da praxe desci o laredo com muito cuidado, pois a noite estava bastante escura, as pedras estavam húmidas e não se via completamente nada.
Quando tinha cerca de 1h de pesca e depois de ter trocado algumas amostras cravei o peixe que seria a recompensa por uma noite dura, fria e húmida. Por momentos vi a coisa mal parada com o peixe a ir em direcção a uma zona de muita pedra e depois quando o vi aos trambolhões no meio das pedras e não lhe conseguia jogar a mão por causa das ondas que dificultavam a cobrança do velhaco. Um peixe que lutou até ao último momento mas que para ele o ano começou da pior maneira possível…

O velhaco tinha 5 kg e havia bastante tempo que não apanhava um destes, foi bom para matar saudades e levantar um pouco a moral, fiquei ainda mais contente porque foi com uma amostra em que eu depositava muita esperança e parece que não me enganei, ainda apanhei uma baila que foi devolvida e tive um ataque de outro peixe talvez kileiro…

Material utilizado
Cana:  Cinnetic Crafty Sea Bass CRB4 3m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura: Ima Glide 125f  (cor 007)


Jantar de ano novo à Homem, uma sopa de feijão com massa e repolho com um entaladinho de chouriça e um tintol oferecido pelo amigo João Santana, para fazer frente a uma noite fria e difícil…


À espera da meia-noite


Este ano o jantar de Natal foi um polvo no forno com batata, batata-doce e castanhas, nem imaginam a delícia que isto estava. O polvo foi oferecido pelo amigo João Santana (Mister Polvo) a quem eu aproveito para agradecer e já agora para o ano que vem quero outro amigo :)

Aproveito para desejar mais uma vez a todos os amigos, leitores e seguidores um Bom Ano de 2017

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Resumo 2016


Boas amigos!
Tal como o próprio título indica este é um post que faz um pequeno resumo dos momentos que foram especiais para mim na pesca durante este ano que está prestes a findar…
Escolhi algumas fotos de capturas, amigos e Natureza para fazer este pequeno resumo, por vezes há dias de pesca em que não se apanha nada mas que ficam na memória para sempre por ter corrido tudo tão bem e em harmonia com a Natureza.




















Desejo um 2017 cheio de saúde e peixe para todos aqueles que o merecem, desejo muita Paz e o fim das guerras que continuam a matar pessoas inocentes todos os dias só porque são de raças e religiões diferentes ou porque ocupam terras que outros querem só porque querem. E já agora se não for pedir muito desejo um governo Português que olhe por nós de forma diferente e não nos roube tanto como acontece a todo o instante, acreditem se quiserem mas o estado é o maior ladrão que nos espreita todos os dias…
Bom Ano a todos.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Robalos Natalícios

“Spinning”
Boas amigos leitores e seguidores!
Os deprimentes dias de sol que têm estado aqui no sul dão lugar a noites frias que são acariciadas pelos ventos do quadrante Norte e Nordeste, estas condições fazem com que as mesmas se tornem geladas para programar uma longa jornada de pesca, mas não para uma curta jornada e foi mesmo isso que eu pensei fazer, como em casa não se apanha nada fui spinnar ali um par de horas para tentar algum Robalote que andasse à procura do Pai Natal  :)


Pouco antes de sair de casa passei ao lado da árvore de Natal e olhei para o barrete do Pai Natal, veio-me à ideia (olha hoje vais comigo porque se a coisa correr bem ainda pousas para a foto)
Escolhi um spot que ficava abrigado do vento que estava naquela noite e ao mesmo tempo protegido destes períodos de vaga fortes que têm estado nos últimos dias. É claro que com estas noites frias poucos são os pescadores que se aventuram ou pensam em tal coisa, pois é mais confortável ficarem em casa no quentinho a ver TV mesmo que tenham de ouvir constantemente as chatas das mulheres a cacarejar a todo instante…


Já tinha dois peixes porreiros e estava animado, quando tudo parecia estar a correr bem até me ter tocado a maldição dos mares (maldição dos mares é quando o peixe falha o ataque à amostra ou então sou eu que falho a ferragem) e quase sempre quando isso me acontece não sinto nem mais um peixe nessa jornada, ou pelo menos 95% das vezes foi assim, e mais uma vez foi o que aconteceu, até me passo quando isso me acontece, mas não me pareceu um peixe grande, talvez kileiro; menos mal para o que já me aconteceu esta temporada. No entanto fiquei satisfeito por esse ataque ter sido à IMA Glide 125f, é uma amostra em que eu tenho muita fé e ando a insistir com ela ultimamente…


Fui presenteado com dois bonitos Robalotes que juntos perfizeram o total de 3 kilinhos, não são aqueles troncos de Natal que todos nós queremos mas nada mau para os dias de hoje.



 Material utilizado
Cana:  Cinnetic Crafty Sea Bass CRB4 3m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura:  vinil 


 Ainda na semana passada quando as marés vazavam bem fui ali a uma regueira apanhar umas ameijoinhas para fazer um xarém de ameijoa


Não sou fã de xarém simples, mas com um marisco á mistura vai bem agora no inverno.
Para terminar queria desejar um bom Natal (dentro dos possíveis) a todos os amigos, leitores e seguidores que costumam ler os meus relatos de pesca aqui no blogue.
Abraço e força aí pessoal.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Minhoca paraplégica

“Surfcasting”
Boas amigos e leitores…
Desta vez com os mares do quadrante sul que estiveram aí na semana passada programei uma jornada de surfcasting perto de casa e como tinha ali umas minhocas já meio paraplégicas para gastar às quais juntei umas iscas congeladas que tinha no congelador fui esticar as canas com a finalidade de apanhar meia dúzia de pexecos, o objectivo da meia dúzia não se concretizou e apenas trouxe um para casa, mas desta vez foi um dos bons e que não resistiu a uma minhoca paraplégica…


É claro que as bailinhas da praxe andavam por lá e três capturadas = três devolvidas, para ver se crescem; pois um peixe que pode atingir os 3kg é raro verem-se exemplares acima de 1kg, devia haver mais consciência por parte dos pescadores e libertarem todos os exemplares que não sejam de dose (excepto claro algumas que ficam mal tratadas quando engolfam o anzol). Este foi um dia bem passado com muitas nuvens e algum vento…
Depois de ter tido alguns amargos de boca esta temporada com azares que fazem parte da pesca e quase me fizeram perder a cabeça este peixe veio apaziguar um pouco esses momentos menos bons.


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Black Panther 4,20
            Cinnetic Panther Evolution 4,20
Carretos:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  RayLine 0,18 nos carretos e SkyLine 0,30 nos estralhos


Um dia destes fui aqui á Ria apanhar uns berbigões para fazer um xarem de berbigão.
E uma vez que estou a falar da Ria deixo aqui umas fotos que tirei durante um passeio.
Saúde e força aí pessoal