segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Para desenjoar do Surfcasting

“Spinning”
Boas amigos!
As previsões não andavam nada animadores, é uma constante de mares fortes, ventos e períodos. Há sempre qualquer coisa que não bate certo, parece que vai ser um inverno fotocópia do ano passado. Mas neste dia havia uma aberta no tempo e pensei que poderia fazer um spinning, falei com o Manel mas não lhe dava muito jeito porque ia ficar a dar apoio à família, falei com o Cristovão Custoidinhe Papa chibos também não podia porque estava de “molho” pensei cá para mim “bom tá a porca ruim, não arranjo companhia para ir spinnar” o Sílvio também não podia. Nisto lembrei me do Carlos que está sempre pronto e já não ia à pesca com ele desde o ano passado. Dei-lhe um toque e para não variar está sempre pronto, mas estava mais virado para um surfcasting.
Então lá fomos, eu spinnar e o Carlos levou uma cana para se entreter no seu surfcasting com as suas sempre fiéis coreanas looool…




O mar estava porreiro para o que eu queria e passado pouco tempo tive o 1º robalo com cerca de 2kg, pelo menos chibo já não levava. Continuo troco de vinil troco de amostra e tal e passado mais ou menos meia hora ferro outro robalo, este ligeiramente mais pequeno que o 1º e a coisa não estava má já com dois peixinhos bons.

Arrumo o peixe junto do outro e continuo com os lançamentos e tenho um ataque que não ferrou “porrrrrra” passados dez minutos tenho outro ataque que não ferrou também “bommmm tá a porca ruim” depois lembrei-me que era o raio da bruxa que tinha acordado (pois cada vez que perco um peixe ou que falho a ferragem não sinto nem mais uma escama) e para não variar foi o que aconteceu mais uma vez…

Fui ter com o amigo Carlos que durante aquele tempo tinha apanhado duas bailinhas e um sargo, tivemos à conversa um pouco e começou a chuviscar eu nem corta-vento tinha levado. Era hora de arrumar a tralha e “bater a asa”


Material utilizado
Cana:  3,60m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificiais: Black minnow e jerkbaits




segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

Começaram as noites frias

“Surfcasting”
Boas pessoal.
Um dia destes fui com o amigo Sílvio fazer uma pesca nocturna. As noites já arrefecem bem e esta é a altura do ano que mais gosto de pescar, os spots ficam desertos e os pescadorzinhos de verão já hibernaram. Chegamos ao spot e estava escuro como breu, pois a lua ainda não tinha nascido. O pesqueiro estava um pouco “descascado” e tínhamos pouca água para pescar, logo montamos o material muito calmamente e ainda tivemos de esperar algum tempo até começarmos a lançar as “maganas” bebemos um cafezinho e tivemos na conversa a fazer tempo…


Começamos a pescar e eu não esperei muito até ter um Robalo lá preso, tirei o peixe e fiquei logo motivado. Voltei a lançar e enquanto puxava a outra cana tive uma porrada que quase me arrancava a cana do “descanso” mas não ferrou, fiquei a pensar que peixe teria feito uma coisa daquelas e não ferrou…
Mais tarde aconteceu a mesma coisa ao Sílvio e mais uma vez ficamos sem saber o que andaria por ali, passado pouco tempo foi a vez do Sílvio tirar uma pequena corvina talvez kileira e foi aí que tiramos as duvidas do que ali andava, pena não serem das grandes ou pelo menos maiores...
Ainda saíram dois sargos um para cada um e nada mais…
Era hora de arrumar e voltar para casa.


Os mares de inverno já entraram e tem sido difícil encontrar condições para pescar, ao spinning então é uma miragem, no entanto no Surfcasting vai dando para matar o vicio e passar uns bons momentos…


Este acabou assim num jantar cá em casa regado com uma garrafinha de branco :))
Abraço e saúde da boa pessoal.

segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

Quatro espécies diferentes

Boas amigos!
Um dia destes organizei-me e fui fazer umas investidas em várias vertentes.
Comecei o dia por fazer uma pesca destinada aos Sargos, a técnica utilizada foi a chumbica num pesqueiro em que o mar fazia uma boa “rebojada” e a água encontrava-se oxigenada em quantidade suficiente.
Entre algumas pequenas safias que foram devolvidas ainda aproveitei quatro Sargos para trazer para casa. Dei esta primeira fase por terminada à hora de almoço e fui comer alguma coisa…


Da parte da tarde o objectivo era tentar alguma Dourada num pesqueiro em que não visitava havia muito tempo. Logo de início me apercebi que a “ruama” estava presente e frequentemente tinha de verificar as iscas. Mais tarde tive uns bons toques que viriam a confirmar que era uma Dourada que lá estava, tirei o peixe e voltei a lançar mas não senti mais nada a não ser ao final do dia quatro besugos que saíram praticamente de seguida…






A noite chegou e era hora de ir a outro pesqueiro, desta vez os Robalos eram o objectivo, o mar era menos do que eu pensava ou queria que fosse, mas já que ali estava não custava nada tentar. Tive lá um pouco a pescar com a cana na mão e ainda ferrei este Robalo que era filho único, o tempo ameaçava chuva e não me apetecia nada molhar o lombo, arrumei a tralha e era hora de ir descansar.


Os besugos esses só tiveram direito à foto já na grelha, bem bons que estavam…
Saúde da boa e força aí.


domingo, 2 de Novembro de 2014

Peixe comprido

“Surfcasting”
Boas pessoal!
Um dia destes combinei com o mestre Sílvio irmos fazer um Surfcasting nocturno. Fui ter a casa do Sílvio mais cedo e por lá comemos umas pizzetas que a sua mulher nos preparou e que estavam bem boas ;) com umas cervejinhas.
Já de barriga aconchegada fizemo-nos à estrada a caminho do spot que estava definido com uma curta paragem para um cafezinho. Chegamos já em cima da hora e não perdemos tempo em montar as armas, eu comecei bem com um sargo de 800g mas havia muito lixo e com o mar no limite tornava-se impossível pescar, pois as iscas rapidamente ficavam escondidas no limo. Tivemos de parar a pesca por 1h e esperar que o lixo fosse desaparecendo gradualmente, durante esse tempo tivemos a visita da GNR que nos pediu as licenças e ainda ficaram um bom bocado à conversa connosco na boa.
Voltamos a lançar as canas e o Sílvio tira logo um sargo de 800g e eu tiro outro, estavam lá uns sargos mas depressa desapareceram e com aquele tempo todo em que tivemos parados por culpa do lixo podíamos ter apanhado uns bons sargos. Mais tarde tive a felicidade de dar com a linha de uma das minhas canas frouxa e rapidamente apercebi-me que tinha lá um bom peixe, mas como estava a pescar com 0,18 no carreto tive de trabalhar o peixe com muita calma para não ter nenhum amargo de boca, no fim tudo correu bem e o peixe deu em seco.


Tive a sorte de tirar um peixe comprido que seria o peixe da noite.


O Sílvio ainda tirou um Robalote kileiro para animar e mais tarde uma Dourada de 1,3kg que já não teve direito a foto...






Com um amanhecer perfeito e de feição o Sílvio mantinha-se atento com um olho no burro e outro no cigano :)
Mas a actividade era nula e arrumamos o material...
Saúde da boa e até breve...

domingo, 26 de Outubro de 2014

Cinnetic - Linhas de Surfcasting

“Surfcasting”
Boas caros amigos e leitores.
Hoje venho falar mais um pouco das linhas que uso na modalidade de Surfcasting, para aqueles que estiverem interessados.
Actualmente estou a usar as linhas da Cinnetic, mais concretamente a Sky Line. Existe em bobines de 150, 300 e 2000m. 


Optei pelas bobines de 2000m porque acho mais rentável a longo prazo, estas bobines existem em duas cores, “Super Clear” que é uma cor transparente e o “Red Inferno” que é uma linha de cor vermelha, eu optei pelo “Red Inferno”


Trata-se de uma linha monofilamento recoberto em carbono que lhe confere uma maior resistência à abrasão, com uma boa “caída” muito sedosa e muito suave o que reduz o atrito no momento do lançamento atingindo assim maiores distancias quando é preciso.
Nas bobines de 2000 m existem os seguintes diâmetros 0,14 – 0,16 – 0,18 – 0,20 e para terminar o 0,24 que só existe na cor “Red Inferno”
Optei pelos diâmetros de 0,18 e 0,24 para usar consoante as condições de mar e morfologia dos pesqueiros.


Nestas bobines de 2000 m a linha vem marcada com uma marca negra a cada 100m para que quando o pescador bobinar um carreto tenha a noção da quantidade de linha que mete numa bobine, podemos usar também esta marca como uma referência para sabermos mais ou menos a que distancia lançamos ou estamos a pescar.
Para completar temos os terminais cónicos ou chicotes, como preferirem chamar.
Também existem nas duas cores e em três diâmetros 0,16-0,52    0,18-0,57    0,20-0,57   cada bobine trás dez pontas cónicas de 15m cada.


Na minha opinião é uma linha de alta qualidade para pescas mais exigentes. Estou bastante satisfeito com o seu desempenho e principalmente com a sua resistência e durabilidade.
Para quem estiver interessado e quiser consultar fica aqui o link:

sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

Numa noite de relâmpagos

“Surfcasting”
Um dia destes fui com o mestre Sílvio fazer um Surfcasting, as espectativas eram boas pois estavam boas condições e seria num spot muito querido por mim, pois a primeira vez que lá pesquei tinha 12 anos e lembro-me como se fosse ontem.
Chegamos cedo para guardar lugar e montar material nas calmas, depois de tudo preparado fomos comer uma bucha, meter a conversa em dia e aproveitei para tirar umas fotos.


Começamos a pescar já de noite e com um mar perfeito as capturas foram surgindo aos poucos numa noite tranquila em que os relâmpagos ao longe nos surpreendiam com os seus clarões. Volta e meia o peixe mostrava alguma actividade e com intervalos espaçados fomos fazendo algumas capturas e devoluções de peixe mais miúdo que teimava em ficar no anzol.
No final conseguimos um total de 15 Kg de pescado entre os dois, o que a meu ver foi bastante positivo.


Entre os dois e devolvendo alguns peixes a queimar a medida conseguimos fazer uma boa selecção com peixes entre 1kg e 1,5kg



Pela primeira vez experimentei fazer uns estralhos com a linha SKY LINE da Cinnetic 0,40 e os resultados estão à vista.


Os finais de tarde são sempre momentos especiais na pesca


Agora já começou a saga dos mares grandes e períodos fortes, palpita-me outro inverno cheio de força, a ver vamos…
Saúde e boas varadas

domingo, 12 de Outubro de 2014

Está aberta a temporada

“Spinning”
Boas amigos!
Nesta investida aproveitei para matar as saudades de pescar com amostras, pois havia muitos meses que não pegava na minha caninha de spinning.
Feitos os preparativos, ver as condições e escolher o spot a investir combinei com o Tony boy e lá fomos nós.
Eu pesquei ao spinning num fundão que me agradou e o Tony boy à chumbadinha num bico de pedra que ali havia. Comecei por pescar com jerkbaits mas não gostei do trabalhar das amostras e logo mudei para vinis, depois de trocar duas ou três vezes e num dos lançamentos quando vinha a trabalhar o vinil a meia distancia tive um ataque ao black minnow. Que prazer que me deu tirar este peixe, andei por ali a brincar com ele até me dizer que já chega e tirei-o para fora nas calminhas, naquele momento estava mais interessado em sentir peixe na ponta da linha do que propriamente meter o peixe a seco, acho que até nem me importaria se ele me escapasse…


O vinil esse foi o black minnow blue o responsável por esta captura.
Estava previsto pescarmos até à meia noite mas foi ainda de dia que ferrei este robaleco, que seria o meu primeiro da temporada :))
Depois disto e já quando estava escuro ainda tive mais um ataque também ao black minnow blue, mas desta vez foi o peixe que levou a melhor e não ferrou, fica para a próxima.


Neste dia e como não podia falhar depois de bebermos umas cervejas ainda tínhamos uma garrafa de melosa e um bolo de mel com amêndoas como sobremesa para adoçar a boca, já que o peixe era pouco…


O Tony Boy já mal se endireitava loooool 


O convívio e a boa companhia continua a ser o melhor que a pesca tem.
Abraço e saúde da boa.